✠ Olá visitante, seja bem-vindo ao Blog da Cruz de Malta ✠ Clique em "Futebol ao Vivo" e assista os jogos do seu time em nosso site ✠ Faça a sua inscrição no programa Sócio Torcedor Gigante ✠ Entre em https://socio-vasco.futebolcard.com/ ✠
Clique na Imagem

Vasco empata com Figueirense, no provável adeus de Diego Souza

Diego Souza abriu o placar para o Vasco
No jogo que marcou sua provável despedida do Vasco, Diego Souza bem que tentou, marcou um gol e correu muito. No entanto, o Gigante da Colina, sentiu a falta de seus principais jogadores que, machucados ou ainda não regularizados, ficaram fora e acabou empatando neste domingo com o Figueirense por 1 a 1, no Orlando Scarpelli.
Com desfalque na zaga, no meio de campo e no ataque o Vasco entrou em campo ontem determinado a seguir no topo da tabela. Sem Rodolfo, Renato Silva, Fellipe Bastos, Felipe, Carlos Alberto e Eder Luis, o jeito foi apostar em jovens como Douglas, William Matheus e Willian Barbio. No entanto, o time de Cristóvão Borges sentiu muito a falta de entrosamento e demorou a se encontrar.

O posicionamento errado dificultava a troca de passes. Sorte do Gigante da Colina que o Figueirense, nervoso por estar na parte de baixo da tabela, não acertou nada. Enquanto isso, Juninho e Diego Souza passaram a chamar a responsabilidade para si e mudaram o parâmetro do jogo. E quis o destino que o camisa 10, que já tinha acertado um belo chute de longe e exigido defesa difícil do goleiro Wilson, fosse o escolhido para colocar o Vasco na frente no placar.

Aos 22 minutos, o apoiador, que tem proposta do futebol árabe e deve ter feito sua última partida pelo Gigante da Colina, recebeu a bola na intermediária, avançou e chutou rasteiro no canto direito antes de comemorar em tom de desabafo com os vascaínos.

O gol, no entanto, acordou o Figueirense, que partiu para o ataque. Foi aí que apareceu outro personagem no duelo: Fernando Prass. Depois de uma bela defesa no final do primeiro tempo, o goleiro do Vasco voltou para a etapa final inspirado. Logo aos cinco minutos, o camisa 1 defendeu pênalti bem cobrado por Júlio Cesar. Aos 20, foi a vez de parar chute forte de Ronny.

Enquanto o técnico Cristóvão Borges gritava à beira do campo na tentativa de corrigir os erros do time, o Vasco não teve mais força para equilibrar o duelo. Pressionado, acabou cedendo aos 29 minutos. Tulio cruzou a bola na área, Ronny antecipou-se à marcação de William Matheus para deixar tudo igual. A esta altura, o jeito foi segurar o empate.

Nenhum comentário: