✠ Olá visitante, seja bem-vindo ao Blog da Cruz de Malta ✠ Assista os jogos do seu time no "Futebol ao Vivo" ✠ Seja também um Sócio Torcedor do Gigante da Colina ✠ Clique na aba "Sócio Gigante" e inscreva-se no programa de sócio torcedor do C. R. Vasco da Gama ✠
Clique na Imagem

Doriva comanda primeira atividade do Vasco em Pinheiral

Doriva mostrou seu jeito tranquilo e educado de ser
O treinador cruzmaltino, participou intensamente do treino na parte da tarde com jogadores e deu mostra de que já conhece a maioria dos atletas que formam o grupo. Doriva, que é evangélico, tem estilo bem diferente de Joel Santana, que treinou a equipe cruz-maltina no ano passado. Do jeitão folclórico e muitas vezes desbocado de Joel Santana, observa-se uma grande mudança, para um linguajar mais contido e sem qualquer palavrão de Doriva. Os jogadores do Vasco começam a se adaptar as diferenças do novo treinador.

Aos 42 anos, Doriva, que correu antes e depois das atividades no campo de Pinheiral, acompanhou de perto os primeiros trabalhos com bola e não deu sossego aos jogadores no treino desta tarde no CT João Havelange. Por ser evangélico, o treinador não tem no seu vocabulário palavrões, mesmo quando demonstra alguma irritação nos treinamentos.

A primeira mostra dessa faceta de Doriva esteve presente logo no primeiro treino com o grupo. Em uma atividade, sem gol, e com o campo reduzido, o técnico do Vasco, segurando duas bolas com as mãos, gritava sem parar. A voz aguda tinha tom de incentivo, mas também de cobrança. - Estamos ficando parados já, caramba! Tem que dar opção... Exclamou o técnico ao dar instruções para os jogadores.

No Ituano, onde foi campeão paulista no ano passado, o jeito tranquilo e muito educado já chamava a atenção. Durante entrevista, ele chegou a dizer que nem a conquista lhe faria mudar seu jeito de ser. "Poxa vida" e "droga" são outras expressões que o treinador usa para demonstrar contrariedade durante o trabalho com os seus comandados. – Nem o título vai me fazer soltar um palavrão. Se for campeão, vou ficar muito feliz, comemorar e dar glória a Deus, mas palavrão, não. Não é o meu estilo – dizia ele.

Chamando pelo nome jogadores como Sandro Silva, Montoya e Lucas, o técnico mostrou que já conhece boa parte do elenco que tem em mãos. Ao lado dos auxiliares, ele iniciava as jogadas e ainda aproveitou para relembrar os tempos de volante no São Paulo, com passes de trivela, por cima e invertidas de jogo.

Nenhum comentário:

Ser Vasco