✠ Olá visitante, seja bem-vindo ao Blog da Cruz de Malta ✠ Clique em "Futebol ao Vivo" e assista os jogos do seu time em nosso site ✠ Faça a sua inscrição no programa Sócio Torcedor Gigante ✠ Entre em https://socio-vasco.futebolcard.com/ ✠
Clique na Imagem

Vasco vence o Ceará de virada e garante retorno a Série A do Brasileirão

Thalles chora, ao comemorar o gol que garantiu a vitória
O Vasco está de volta à Série A do Brasileiro. No Maracanã, a equipe carioca não teve uma grande atuação, mas venceu o Ceará por 2 a 1, de virada, e terminou a serie B na terceiro colocação, garantindo o retorno para a elite do futebol brasileiro. O grande destaque da partida foi Thalles. O atacante marcou no começo da segunda etapa os dois gols da equipe na partida. Na primeira etapa, Eduardo fez o gol que abriu o placar para o Ceará. O Vasco subiria para a Séria A mesmo que não vencesse o Ceará. Isto porquê o Náutico foi derrotado em Recife pelo Oeste, eliminando qualquer possibilidade da equipe pernambucana atrapalhar o acesso do clube carioca.

O sábado do Vasco foi de sofrimento, com um flerte com um dos maiores vexames da sua história. Porém, após sair atrás no marcador e ficar ameaçado de passar mais um ano na Série B do Campeonato Brasileiro, o time carioca reagiu no segundo tempo e virou sobre o Ceará por 2 a 1, no estádio do Maracanã, no Rio, e assegurou o retorno à elite do futebol nacional na 38.ª e última rodada.

Apesar da vitória, a torcida, que lotou o estádio, não perdoou a campanha ruim, principalmente no segundo turno, quando fez apenas 26 pontos, 13 a menos em comparação ao turno inicial, e fez fortes críticas ao presidente Eurico Miranda. Embora tenha integrado o G4 durante toda a competição, o Vasco poderia ter deixado o grupo no momento mais importante, caso perdesse e o Náutico vencesse o Oeste - os pernambucanos perderam, em casa, por 2 a 0. Com 65 pontos, os cariocas evitaram um desastre e terminaram o torneio na terceira posição. Com 54 pontos, o Ceará ficou na 10.ª colocação e permanece na Série B.

Com a necessidade de vencer o jogo, a torcida cruzmaltina comprou todos os ingressos para a partida. Porém, o que deveria ser apoio, se transformou em pressão. Apesar da média de idade ser de 30,3 anos e de oito dos 11 titulares ter idade superior a 33 anos, o time era puro nervosismo em campo, só de pensar na possibilidade de não conseguir o acesso para a Série A.

Sem conseguir manter a posse de bola, o time cruzmaltino abusava dos passes errados e não tinha criatividade. Era tudo na individualidade, como aos 11 minutos, quando Thalles girou para cima de Ewerton Páscoa e chutou forte para a boa defesa do goleiro Éverson. Foi a única vez que levou perigo ao adversário.

Com a tensão cada vez maior, os erros se intensificaram e o Ceará começou a chegar no contra-ataque. Aos 16 minutos, os cearenses atacaram cinco contra três, mas não conseguiram aproveitar a vantagem numérica. Seguro durante toda a temporada, o goleiro uruguaio Martin Silva também sentiu a pressão e se atrapalhou em dois chutes. Por sorte não sofreu o gol. Porém, na terceira tentativa, a falha foi cruel.

Aos 27 minutos, após novo passe errado no meio de campo, Eduardo arriscou de longa distância e pegou Martin Silva desprevenido: 1 a 0. A torcida intensificou o protesto contra Eurico Miranda e começou a gritar Oeste, que fez 2 a 0 em cima do Náutico, no Recife, ainda no primeiro tempo. Na etapa final, bastaram quatro minutos para a virada. Eder Luis, que entrou no lugar do vaiado Diguinho, chutou forte, Éverson deu rebote e Thalles empatou o jogo, aos 2 minutos: 1 a 1. Aos 4, Madson cobrou lateral na área, Jorge Henrique ajeitou e Thalles marcou o segundo: 2 a 1.

De forma imediata, o Ceará respondeu na sequência com Wescley. O atacante recebeu livre na área e tocou por cima de Martin Silva. A bola bateu no travessão. O novo susto não intimidou a torcida, que esqueceu a campanha ruim da Série B e passou a ser total apoio ao time. A experiência, que faltou ao time no início da partida, entrou em campo para administrar a vantagem.

A cada falta, uma pausa para esfriar o jogo. Sem objetivo no campeonato, seja por acesso ou rebaixamento, o Ceará se conformou e não criou problema para o adversário. Apenas Rafael Costa, em lances individuais, tentava algo diferente, mas sem causar perigo. O Vasco segurou a vantagem e aguardou o apito final, com a divisão da torcida entre aplausos e vaias ao time.

FICHA TÉCNICA
VASCO 2 x 1 CEARÁ
Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Público/ Renda: 49.259 pagantes (56.426 no total)/ R$ 924.630,00
Arbitragem: Thiago Duarte Peixoto (SP)
Cartões Amarelos: Thalles (Vasco); Richardson (Ceará)
Cartão Vermelho: Valdo (Ceará)
Gols: Eduardo, aos 27 minutos do primeiro tempo; Thalles, aos 2 e aos 4 minutos do segundo tempo

VASCO - Martín Silva; Madson (William), Rafael Marques, Rodrigo e Julio César; Diguinho (Eder Luis), Douglas, Andrezinho e Nenê; Jorge Henrique (Julio dos Santos) e Thalles. Técnico: Jorginho.
CEARÁ - Éverson; Tiago Cametá, Ewerton Páscoa, Valdo e Eduardo; Richardson, Felipe (Ricardinho), Felipe Menezes e Wescley; Bill (Rafael Costa) e Lelê (Robinho). Técnico: Sérgio Soares.

Nenhum comentário: