Josh Wander quer tornar o Vasco uma super potência do futebol


Em sua primeira entrevista após a confirmação do negócio entre Vasco e 777 Partners, Josh Wander, um dos fundadores da empresa, explicou alguns pontos do acordo milionário. O jornalista Rodrigo Capelo, do GE, conversou longamente com o empresário, que fez questão de garantir que o Gigante da Colina será o time principal dos investimentos da Holding.

“Sobre o Vasco, eu acho que, como em todo investimento que analisamos, estamos procurando fatores que nos façam acreditar que haverá valorização desse ativo ao longo do tempo. O Vasco está na segunda maior cidade do Brasil, no quinto maior país do mundo. Há uma população enorme, que podemos comercializar. Nossa visão é que, antes de tudo, queremos comprar clubes que achamos que tenham cenários econômicos que fazem sentido. Que possam ser bem-sucedidos comercialmente, dentro do possível. Ter uma população grande, em países com uma rica história no futebol, tradição, com uma grande conexão com seus torcedores, é muito importante para nós” – Disse Josh.

Ainda desconhecida para o mercado brasileiro, as informações sobre a 777 Partners chegam conforme os dias passam. Josh fez questão de explicar o papel da holding e como agem no mercado:
 
”A 777 é uma holding global que atua em seis áreas: consumo e comércio; seguros; aviação; empréstimos; finanças de litígio; esportes, mídia e entretenimento. Em cada uma dessas áreas, 777 tem diversas empresas no portfólio em diferentes lugares do mundo. Mas a ideia principal da estrutura de holding e da nossa habilidade de investir no longo prazo é que, dentro do possível, todos os nossos negócios vão criar valor para outros negócios. Nós somos capazes de criar eficiências dentro do nosso ecossistema para todos os negócios, assim eles podem se beneficiar dos recursos que a 777 tem como uma holding. A função principal do que a 777 faz é consolidar algumas das partes mais rotineiras dos negócios de todas as empresas que temos no portfólio, através do nosso ecossistema. Fazendo isso, nós criamos eficiências de custo, operacionais, potencial compartilhamento de dados, e a possibilidade de utilizar recursos de um negócio num local distante do mundo no seu negócio, porque está no mesmo ecossistema.

”Na 777, nós estamos construindo essa estratégia de comprar diferentes clubes, que vamos chamar de 777 Football Group. Esse grupo vai se concentrar em mercados-chave, com tradições ricas e profundas, verdadeiras identidades de marca, conexões com bases de torcedores que consideramos que fazem sentido. Nós vamos desenvolver talentos, vamos desenvolver fortes categorias de base, empregar análises inovadoras de dados do futebol para nos ajudar a tomar decisões. Vamos integrar operações de forma parecida com a que fazemos na holding 777 e tentar contratar os melhores gestores para administrar esses negócios”.

O Vasco será a "Joia da Coroa". De certo, a empresa já é dona de forma total, do Genoa, da Itália. A intenção, de acordo com Josh Wander, é ter ainda mais times. Entretanto, garantiu que o Vasco será a potência principal da cartela de clubes pertencentes ao 777 Football Group:

“O Vasco é fundamental nesse sistema. Vasco será o centro da nossa operação na América Latina. Na nossa visão, ele é uma joia da coroa no mundo do futebol, e deve ser tratado assim. Nosso objetivo é fazer tudo que estiver ao nosso alcance para garantir que o Vasco possa retomar o seu domínio no lado esportivo. Para fazer isso, vamos nos concentrar, com nossos outros clubes, no recrutamento, no scouting, e no desenvolvimento da performance dos jogadores. Criar eficiências no negócio que tornem o negócio sustentável daqui para frente. Para que o Vasco possa se perpetuar pelos próximos 100 ou 200 anos, através da estrutura, a infraestrutura de sustentabilidade financeira que será implementada.

E aí, claro, todos os benefícios desse grande ecossistema do 777 Football Group, no qual provavelmente teremos maior poder de barganha, teremos economia de escala, poderemos usar recursos de outros clubes para o Vasco e vice-versa. O tempo todo tentando defender o espírito do esporte, garantindo que todos os clubes, no seu direito, possam ter o maior sucesso possível”.

Postar um comentário

4 Comentários

Beto Guerreiro disse…
Pelo visto, os gringos vão vir com tudo para investir pesado no Gigante da Colina.
Nilo Silva disse…
Realmente, depois das declarações do bilionário Joshua Wander, posso garantir que o cara não está pra brincadeira. A ideia dele é transformar o Vasco numa superpotência do futebol mundial.
Aloisio Gama disse…
Quem tem dinheiro não brinca em serviço, meu caro. Se eles escolheram o Vasco pra ser a Joia da Coroa, é porquê enxergaram o potencial enorme do Gigante da Colina. SV!
Eurico Junior disse…
Realmente o pessoal da 777 Partners tem dinheiro, quanto a isso, não tenho dúvidas. Mas vamos com calma minha gente porque eles não vão jogar pra perder. O que temos que exigir dessa diretoria, nesse momento, é que haja transparência e que eles mostrem aos sócios, todos os detalhes desse contrato, sem omitir nada. Tem muita coisa nessa negociação que a gente não sabe. Por exemplo: Quanto aos 630 milhões restantes do investimento, como será direcionado esse dinheiro. O montante vai para o Vasco (clube social), como deveria ser, ou irá para a própria SAF do futebol ( 777 Partners), que está sendo comprada? Porquê se for para SAF, o Vasco só receberá os 70 milhões, e não os 700 milhões que estão sendo anunciados na imprensa. Temos que ficar de olhos bem abertos quanto a isso, entenderam!